As mudanças da Fase 3 do Minha Casa Minha Vida

As mudanças da Fase 3 do Minha Casa Minha Vida

Um assunto que está movimento o mercado imobiliário neste início de ano é sem dúvida a expectativa pelo lançamento da terceira fase do Programa Minha Casa Minha Vida, anunciada no ano passado. Você, corretor de imóveis, provavelmente está ansioso para saber como as novas regras irão afetar na prática o mercado imobiliário. E se trabalha com este segmento, certamente está aguardando o lançamento oficial para colher excelentes resultados em 2016.

O Programa Minha Casa Minha Vida foi criado em março de 2009 pelo Governo Federal e desde então aumentou significativamente o público capaz de realizar o sonho de ter a própria casa – trazendo muitos novos clientes para os corretores e imobiliárias. Nestes últimos 7 anos, o Minha Casa Minha Vida passou por algumas mudanças e agora está prestes a entrar na chamada Fase 3.

É importante ressaltar que esta nova etapa ainda não foi oficialmente lançada, mas suas novas regras foram antecipadas pela Caixa Econômica Federal no último ano e, para as Faixas 2 e 3 do programa (que utilizam recursos do FGTS), a Caixa já pode liberar financiamentos utilizando as novas normas. As Faixas 1 e 1,5, subsidiadas pelo governo, ainda dependem de aprovações de Orçamento para que os financiamentos sejam liberados.

As novidades da Fase 3 do Minha Casa Minha Vida

Faixas Limites de Renda e Taxas de Juros

O Minha Casa Minha Vida trabalha com diferentes taxas de juros de acordo com a renda familiar do cliente e essa é uma das principais mudanças nesta terceira fase do programa, além da inclusão de uma nova faixa, a 1,5, também chamada de faixa intermediária.

Tanto as faixas de renda quanto as taxas de juros sofreram alterações importantes. Confira na tabela abaixo:

Taxas de Juros da Fase 3 do Minha Casa Minha Vida

Percebeu o aumento no limite de renda? Antes a Faixa 3 limitava-se a R$ 5000,00 e agora ela foi elevada a R$6500,00.

Para o corretor de imóveis a mudança é muito significativa, afinal agora um maior número de consumidores terá acesso ao programa. Por outro lado, a taxa de juros também aumentou e, por isso, o valor total financiado diminuiu.

Valor de Avaliação x Valor de Compra e Venda

Outra importante mudança que a Fase 3 do Minha Casa Minha Vida traz é no modo de definir o valor utilizado para considerar o financiamento. Antes, a Caixa Econômica Federal comparava o Valor de Avaliação feita com o Valor de Venda e Compra. O menor valor era aplicado.

Agora o Programa passará a considerar apenas o valor que ficará registrado no contrato de financiamento, que pode inclusive ser maior que aquele ditado pelo engenheiro avaliador. Isso poderá causar tentativas de aumentos artificiais nos valores, o que causa prejuízos ao vendedor e ao comprador nos pagamentos de impostos, registro de cartório e venda do imóvel. É importante você, corretor, alertar seu cliente disso.

Aumento na parcela da Faixa 1

Apesar de ainda não confirmados os recursos destinados às faixas 1 e 1,5 do Minha Casa Minha Vida – aquelas que atendem às famílias com menor renda, já foi anunciada uma mudança importante para a Faixa 1. As parcelas para os novos contratos irão aumentar de R$ 25,00 para R$ 80,00. Este aumento não é válido para os financiamentos já contratados, portanto quem já é cliente do Programa não será afetado.

Mudanças na Parcela da Faixa 1 do Programa Minha Casa Minha Vida

A justificativa da Presidente da Caixa, Miriam Belchior,  é que a Faixa 1 não sofreu nenhum aumento desde 2009 e que a alta acompanha o crescimento de renda do brasileiro e a inflação acumulada no período.

Fonte: vivareal.com.br