Consumidores paulistas acreditam em queda dos preços de imóveis no 2º semestre deste ano

Consumidores paulistas acreditam em queda dos preços de imóveis no 2º semestre deste ano

Levantamento feito pelo VivaReal também aborda a expectativa das pessoas quanto à disponibilidade; interesse dos compradores, incentivos ao financiamento habitacional e políticas públicas voltadas para moradia

O morador de São Paulo acredita que os preços dos imóveis devem cair no segundo semestre deste ano. Essa é a opinião de 62% dos paulistas ouvidos em pesquisa realizada pelo portal de imóveis VivaReal. O levantamento também mostra que 59% das pessoas esperam maior flexibilidade na negociação de valores. Esses índices acompanham os dados nacionais, que apontam 61% e 60%, respectivamente.

O estudo foi realizado com pessoas que buscaram imóveis para compra ou aluguel por meio do portal VivaReal nos últimos dois meses. O objetivo é identificar, junto a sua base de usuários, quais as expectativas para o segundo semestre de 2015. De acordo com a pesquisa, 24% dos moradores do estado disseram que os preços deverão continuar estáveis até o fim de 2015 e somente 9% afirmaram que os valores vão subir. Quanto à flexibilidade de negociação, 19% responderam que a situação não deve se alterar nesse período e 13% que ficará mais difícil pedir descontos.

Sobre o mercado imobiliário em geral, 50% acham que a situação irá piorar e 46% que vai melhorar ou permanecer estável. “As pessoas têm acompanhado as notícias negativas sobre a economia do Brasil. Também ocorreram mudanças significativas no mercado, como a alteração nas regras de financiamento de imóveis. Uma pesquisa para medir as expectativas acaba sendo um termômetro do que acontece no país do ponto de vista do consumidor”, comenta Lucas Vargas, Vice-Presidente Executivo do VivaReal.

O levantamento também abordou questões como disponibilidade de imóveis no mercado, interesse dos compradores, incentivos ao financiamento habitacional e políticas públicas voltadas para moradia. Quanto à disponibilidade de unidades para venda ou locação, 69% esperam que a oferta aumente neste período; 20% que fique estável e 7% que reduza. Já sobre o número de pessoas interessadas em comprar ou alugar, 54% acreditam que a procura irá cair, 24% que ficará estável e 18% que aumentará.

Para a maioria das pessoas ouvidas (47%) pelo VivaReal, os incentivos ao financiamento imobiliário devem diminuir; 26% responderam que esperam a estabilidade e 22% que vão aumentar. Os consumidores também não acreditam em ampliação das políticas públicas voltadas para moradia: 43% disseram que os programas irão diminuir, 30% que permanecerão estáveis e apenas 17% que serão ampliadas.

Fonte: portalvgv.com.br