História São Miguel Paulista

HISTÓRIA DE SÃO MIGUEL PAULISTA

São Miguel Paulista é um distrito da região leste de São Paulo

Teve como núcleo inicial a chamada Capela dos Índios, uma igreja construída no século XVI para o aldeamento de indígenas da região, a capela está localizada na Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, também conhecida como Praça do Forró. Ela é a única construção na cidade de São Paulo que, depois da reforma que sofreu no século XVII, conserva-se totalmente original, com paredes em taipa de pilão.

Foi durante muitos anos chamado distrito da Penha de França, ganhando autonomia administrativa no fim do período imperial. Fez parte da constituição do bairro, a existência da estrada que ligava o Rio de Janeiro a São Paulo e que passava por dentro da antiga Aldeia de São Miguel. Hoje a estrada transformou-se nas Avenidas Marechal Tito e São Miguel.

Servido pela linha 12 da CPTM que foi inaugurada na década de 1930 e pelo Terminal São Miguel, o distrito permaneceu estagnado durante mais de um século. Hoje, tornou-se um importante centro comercial e populacional regional e abriga ainda umauniversidade. É uma das regiões mais populosas da cidade. Atualmente támbem é servido pela Estação (Jardim Helena/Vila Mara).

Teve como um dos principais fatores de desenvolvimento, as atividades da Companhia NitroQuímica Brasileira, do Grupo Votorantim, desde 1932, que gerou uma grande migração para São Miguel, principalmente de nordestinos. A indústria foi uma resposta do empresário José Ermírio de Moraes à liderança das Indústrias Matarazzo na produção do raion, a seda sintética. Hoje a indústria trabalha com outros produtos, ainda na área química.

São Miguel conta com uma rede de serviços públicos e privados considerável, com escolas, hospitais, comércio e indústrias variadas.

História do distrito de São Miguel Paulista

É muito difícil precisar quando se inicia o povoamento da região, contudo estabelece-se25 de janeiro de 1554, quando o Padre José de Anchieta chega nas terras de Piratininga e funda a aldeia de São Paulo de Piratininga.

Conta a história que, após desentendimentos entre tribos indígenas, houve a dispersão dos mesmos, formando novas aldeias, entre elas, a aldeia de Ururaí, cujas terras foram doadas aos índios, através da “carta de sesmaria”, datada de 12 de outubro de 1580. Nesta aldeia, foi construída uma capela pelos jesuítas e índios, a qual recebeu o nome de Capela de São Miguel Arcanjo.

Com a chegada dos brancos e a colonização, São Miguel Paulista, ou aldeia de Ururaí como era chamada, tem sua data oficial de fundação no dia 21 de setembro de 1622. A Carta de Sesmaria passou a ser desrespeitada, abrindo espaços para a lavoura o crescimento local. Em 26 de abril de 1865 foram criadas duas classes do ensino das primeiras letras (curso primário). Uma para os meninos e outra para as meninas. Em 16 de junho de 1891, criou-se o primeiro ofício do registro civil (cartório de paz) e em 1892. São Miguel crescia e em 1903, já contava com 108 casas e 2 299 habitantes.

Nota pessoal sobre a história De São Miguel Paulista

abaixo dou os créditos ao wikipédia haja vista esse ser um site de respeito e tudo que pesquisei sobre o assunto bate com os arquivos pesquisados, mas o que o wikipédia não conta é que os grandes donos de terras de São Miguel Paulista, e sub distritos tais como vila jacui, vila pedroso, vila curuçá, pedro nunes, parque cruzeiro do sul, e vários outros, sempre estiveram em poder de familias japonesas, portuguesas e espanholas, nosso Brasil é muito bom com todas as raças, mais esses povos não seriam tão bondosos com nosso povo, um chinês vem para cá com todas as regalias, experimente você brasileiro ir para a China de maneira ilegal.

FOTO DA CAPELA DE SÃO MIGUEL PAULISTA


use a foto mais não tire os créditos de quem a tirou,  seja ético !