Incorporadora americana entra no Brasil

A empresa, fundada em Miami por Pérez, e a Related Companies, criada por Stephen Ross em Nova York, estão entre as maiores incorporadoras dos EUA

São Paulo – Com o plano de investir 1 bilhão de dólares em três anos, a incorporadora Related Brasil anunciou sua chegada ao país com uma meta ambiciosa: estar entre as maiores empresas do setor neste mesmo prazo.

incorporadora americana


Criada a partir das incorporadoras norte-americanas The Related Group e Related Companies, a nova empresa começa a dar os passos iniciais em território brasileiro com a estimativa de destinar 120 milhões de dólares aos primeiros projetos, que devem ser lançados em cerca de três meses.

“A intenção é estar entre as maiores empresas (incorporadoras) em três anos”, disse o presidente-executivo da Related Brasil, Daniel Citron, que foi presidente no Brasil da gestora de investimentos imobiliários de alto padrão Tishman Speyer. Entre as maiores construtoras e incorporadoras do país estão a PDG Realty e Cyrela Brazil Realty.

Segundo Citron, o aporte de 1 bilhão de dólares -formado por recursos próprios e de terceiros- deve se converter em Valor Geral de Vendas (VGV) entre três e quatro vezes maior até 2014. Este ano, a empresa deve ter de três a quatro projetos no país.

“De todas as possibilidades que olhamos, o país com maior potencial de crescimento nas próximas duas ou três décadas é o Brasil”, afirmou o cubano Jorge Pérez, um dos sócios da Related Brasil.

O Related Group, fundado em Miami por Pérez, e a Related Companies, criada por Stephen Ross em Nova York, estão entre as maiores incorporadoras dos EUA, com portfólio combinado de cerca de 20 bilhões de dólares. Ross também é sócio da Related Brasil.

“Vemos (no Brasil) muitas das características encontradas nos Estados Unidos anos atrás”, acrescentou. Para atingir a meta de alcançar o topo do setor, a Related considera parcerias e até mesmo aquisições.

Com posicionamento nos padrões de renda médio e alto, a nova empresa ainda não formou um banco de terrenos e está negociando áreas para empreendimentos nos segmentos residencial, comercial (venda e locação), hoteleiro e projetos de desenvolvimento urbano.

Time brasileiro

Os sócios da Related Brasil se apóiam no argumento dela ser a única incorporadora de origem totalmente norte-americana a investir no país por meio da criação de uma empresa nacional.

Com escritório sediado na região da avenida Faria Lima, em São Paulo, Citron está cuidando atualmente de compor a diretoria da companhia, que será composta por brasileiros.

“Não queremos saber mais que os brasileiros… vamos trazer conhecimento. Estamos falando com empresas aqui, queremos firmar parcerias e ser uma empresa brasileira, não apenas ter um ou dois projetos”, disse Pérez.

Ele acrescentou que o grupo vem negociando parcerias em projetos com “grandes empresas” no Brasil, principalmente parcerias regionais. A Related também recorrerá a parceiros por não ter construtora própria.

Embora não descarte operar em cidades carentes de terrenos como São Paulo e Rio de Janeiro, o comando da companhia está de olho na região Nordeste.

“É mais fácil entrar onde os preços não subiram tanto, onde existe mais área disponível… o Nordeste oferece mais possibilidades”, disse Citron.

Inicialmente, a Related Brasil deve ter participação pequena nas operações do grupo norte-americano, mas a fatia tende a aumentar gradualmente e se tornar parte relevante, segundo Pérez.

Embora a companhia tenha projetos isolados em outros países da América Latina, como México, Colômbia e Uruguai, o executivo ressaltou que o Brasil será “foco de atenção” do grupo agora.

“Bolha” de preços

Sob a sombra da possibilidade de formação de uma bolha imobiliária no Brasil, Pérez disse estar sempre preocupado, sobretudo se considerados os preços em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, quando comparados a Miami, por exemplo.

“A preocupação é se os preços estão altos porque a demanda é alta e se a demanda cair eles vão cair também”, afirmou, ponderando que o Brasil tem a seu favor o aumento de renda da população e a migração de classes.

“Diferentemente dos EUA e da Europa, a classe com maior poder de compra está crescendo de forma muito mais forte, suportando o mercado”, assinalou.

 

Blog Patrocinado Por :

http://www.altopedroso.com.br

os melhores imóveis estão aqui

..:: Alto Pedroso Imóveis Rua Tiago Ferreira nº 564 – CEP 08011-270

PABX: 2297-2001 | 2032-4040 | 2297-7007 ou até às 23 horas no celular: (11) 9526-0007
NEXTEL: 11-7739-1339 ID: 55*11*28939 - E-mail:altopedrosoimoveis@gmail.com

Por: Vivian Pereira

Fonte: Exame

 

 

TAGS: ,

Nenhum Comentário



Seja o primeiro a comentar!

Comentar


imóveis e bairros

dicas para o corretor

Como mandar emails eficientes

Como mandar emails eficientes

Atualmente a internet tem sido a facilitadora de negócios. Pessoas compram os produtos pela internet e exploram o ciberespaço à procura das coisas que desejam. Com os imóveis não é diferente. Cada vez mais aumenta a necessidade dos corretores marcarem presença na internet construindo um site imobili

Leia Mais

artigos imobiliários

Os dois segredos de ouro em vendas

Os dois segredos de ouro em vendas

São paciência e persistência, quando aquele cliente o qual tentamos e tentamos e ele não retorna, pensamos em cancelar a tarefa pois imaginamos esse cara não vai comprar nada, ai começa o trabalho devemos ter paciência para não desistir e persistência para continuar tentando, me lembro de um vendedo

Leia Mais

indicou ganhou

Indicou Ganhou

Indicou Ganhou

já imaginou só indicar um imóvel ou um amigo ou conhecido que queira comprar um imóvel, e ganhar um bom dinheiro com isso ! – A Alto Pedroso Imóveis em parceria com os portais banco dos imóveis e imobiliária leste, estão lançando a promoção indicou ganhou, especial para nossos clientes, amigos, cole

Leia Mais

parecer imobiliário

Qual é o melhor país para investir em imóveis

Qual é o melhor país para investir em imóveis

O melhor país para investir em imóveis segundo a época negócios, ainda continua sendo os Estados Unidos, se bem que na minha opinião o Brasil é uma opção melhor de curto a médio prazo, pois que países receberam incentivos e investimentos em infraestrutura, advindos de uma próxima copa do mundo e pos

Leia Mais