Mandinga imobiliária, a inquilina macumbeira

Mandinga imobiliária, a inquilina macumbeira

A mandinga da inquilina macumbeira …

Nunca acreditei em macumba, mas aconteceu um caso em meu escritório que não tem explicação lógica, vou narrar os fatos; em meados de 2008 apareceu em meu escritório um casal que tinha interesse em locar uma casa no Itaim Paulista, ambos trabalhavam e tinham ficha cadastral idônea o que permitiu a locação do imóvel, já no primeiro mês eles atrasaram o aluguel, a proprietária que é uma portuguesa muito gente fina, mais quando falamos da parte mais sensível do bolso já viu né, me disse o que estares a aconteceres esse povo já estares a atrasar, liguei para os inquilinos e fiz a cobrança, nós próximos meses a situação foi a mesma coisa, atrasos e atrasos e as mais esfarrapadas desculpas possíveis, fiquei sem entender pois a ficha de ambos era impecável, o que aconteceu a seguir foi que depois de vários acordos não honrados, decidimos entrar com a ação de despejo …

Eles alegavam que não tinham dinheiro para pagar o aluguel, mais tiveram a cara de pau de contratar um advogado só para provocar a procrastinação do feito, aproveitaram as lacunas de nossa lei e conseguiram prolongar a ação por 26 longos meses, superando até o mais famoso dos inquilino mal pagadores ” seu madruga ” aliás eu escrevi um artigo sobre o inquilino seu madruga tendo esses inquilinos como inspiração…

Digam se foi macumba ou não

A proprietária do imóvel uma portuguesa muito simpática, a qual me ajudou muito no começo de meu escritório, trazendo seus imóveis para a minha administração tinha por habito subir as escadas do escritório, quase todos os dias desde o ano de 2005 quando comecei a administrar o seus bens,   em resumo ela vinha praticamente de 3 a 4 vezes por semana calculem que na média ela viesse 3 vezes por semana X 4 semanas igual a 12 dias por mês, desde 2005 até 2011 são seis anos, pela média ela vem 144 vezes ao escritório por ano isso vezes 6 da o total de 864 vindas ao escritório, nessa última sexta feira o oficial de justiça conseguiu fazer o despejo e veio a meu escritório entregar as chaves do imóvel, liguei para o estabelecimento de minha cliente e disse a seu funcionário para que ela me esperasse, pois eu estaria lá para entregar as chaves e apresentaria a vistoria do imóvel, ela disse ao funcionário que tudo bem ela me esperaria, sai de meu escritório e fui até o estabelecimento dela e para minha surpresa ela tinha acabado de sair, conversei com o funcionário dela e disse :

aonde está a portuguesa ele me disse que ela tinha saído, esperei por 30 minutos e voltei para meu escritório quando cheguei lá e entrei na minha sala, pude ver pela janela ela chegando, interfonei para meu funcionário e pedi que a conduzisse até minha sala, depois de uma breve reunião estávamos todos contentes pois o inquilino sairá de sua propriedade, me despedi de minha cliente e quando voltei a meus afazeres, fui surpreendido com um grito vindo de minha recepção ” a senhora caiu das escadas e desmaiou ” dei um pulo de minha cadeira e quando cheguei até a recepção vi uma cena que jamais esquecerei, vi a minha cliente que a segundos atrás saiu toda sorridente de minha sala, jogada ao chão e ensanguentada fiquei desesperado ao ver aquela cena, chamamos os bombeiros para o socorro, o telefone do Dr João Claudino tocou pensamos ser o socorro chegando, para nossa surpresa a esposa do Dr João que foi o advogado que despejou a inquilina sofreu o mesmo acidente, e estava no hospital …

A inquilina fez algo para que fosse prejudicado a imobiliária, a proprietária e o advogado, em resumo não vejo outra explicação para o ocorrido senão magia negra, mais acredito na intervenção divina aonde Deus é mais poderoso e protegeu a todos com seu manto, a proprietária já está bem mais levou vários pontos na cabeça, agora me digam existe outra explicação para isso …

Artigo de Sérgio F. Barbosa