Morar no Leblon ou em São Francisco: o que sai mais caro?

Morar no Leblon ou em São Francisco: o que sai mais caro?

São Paulo – São Francisco tem ensino de ponta, é um dos centros da inovação mundial e permite uma qualidade de vida invejável.

O problema é que ela está ficando inacessível para quase todo mundo.

Com o boom da economia da tecnologia fazendo dinheiro fluir para uma ilha com oferta bem limitada de casas e apartamentos, os preços do mercado imobiliário ficaram fora de controle nos últimos anos.

 

Um ranking da Economist Intelligence Unit (EIU) de melhores cidades coloca São Francisco no 5º lugar geral, mas lá em baixo no quesito “custo de vida”.

Isso fica claro em um mapa da Neighborhood X que compara o preço de propriedade em pontos normais da cidade com outros locais ao redor do mundo famosos pela beleza.

West Portal é comparado ao Leblon, bairro com o metro quadrado mais caro do Brasil. Diamond Heights tem preço similar ao do deslumbrante centro histórico de Roma; ir para Western Addition sai ainda mais caro.

Para morar em North Beach ou Mission Bay, você desembolsa um valor que pagaria por um imóvel equivalente na famosa ilha de Santorini, na Grécia.

O problema não está restrito a São Francisco. Em Nova York, a mediana do preço de venda de um apartamento na ilha atingiu recordes US$ 999.000 (o equivalente a R$ 3,95 milhões) no 3º trimestre.

De acordo com a Bloomberg, a geração Y não ganha nem metade do necessário para comprar uma casa em São Francisco ou mesmo Los Angeles e só 37 das 50 maiores cidades americanas são financeiramente acessíveis para quem tem entre 18 e 34 anos.