A encruzilhada negociando com o diabo

Negociando com o diabo

caso baseado em fatos reais, o narrado abaixo realmente aconteceu, só mudamos o nome das pessoas envolvidas, mais os fatos e situações aqui narradas aconteceram exatamente como descrito abaixo :

Apareceu em meu escritório um casal de senhores aparentando uns 65 anos, ele se identificou como senhor Gumercindo e ela como senhora Dora me perguntaram sobre o terreno, e me disseram que tinham planos de comprar um terreno na zona leste para investimento, achei estranho o jeito insistente de perguntarem sobre a documentação, e insistiram muito para ver os documentos do terreno, como já tenho boa experiência nesse ramo, percebi que o casal de senhores poderiam ser golpistas, pois pude notar que ambos tinham grande conhecimento de documentação imobiliária, e então me apresentei como o proprietário do imóvel, ai eles me sugeriram a marcar uma reunião pois tinham interesse em comprar o terreno, eu disse que tudo bem e marcamos na quarta feira um dia depois do feriado, eles não vieram.

a encruzilhada negociando com o diabo
a encruzilhada negociando com o diabo

Logo depois recebi a ligação de meu sócio o Sr Alvaro, que disse ter recebido uma ligação desse tal de Gumercindo, ai o espantoso ele disse que comprou o terreno, meu sócio brincou e disse se o senhor comprou o terreno eu ainda não recebi, e depois ambos conversaram por alguns minutos, mais ficou claro e evidente que esse senhor e sua esposa são estelionatários, Logo após a ligação de meu sócio que me ligou e me explicou o acontecido, imediatamente peguei meu carro e fui para o cartório de registro de imóveis, e pedi uma certidão atualizada, e para meu espanto constava lá o nome dos estelionatários.

Ai fomos a fundo e começamos a levantar a documentação, tem uma procuração falsa lavrada no tabelionato do estado do Paraná – livro P-27 folhas 024/025 – pasta 273 – doc 37 –  nomeiam procurador um tal de Valdir da Silva esse tal de Valdir passa a escritura para o também golpista Técio que meses depois passa a escritura para o sr Gumercindo eles tentaram fabricar um terceiro de boa fé ou seja, todos são estelionatários mais o tal de Gumercindo está dizendo que foi prejudicado mais sabemos que ele é golpista como os outros, e está tentando forçar uma situação que não existe para tentar obter lucro coisas de golpista, para meu espanto a cada dia que passava eu descobria, que teria que usar todo o meu conhecimento imobiliário, para lutar contra uma quadrilha especializada.

A quadrilha e a encruzilhada

muita gente envolvida no golpe aonde tentavam tirar a minha propriedade, a quadrilha dispunha de um estelionatário com ampla experiência, seus golpes datavam desde o ano de 1981 aonde teve sua primeira ocorrência criminal, de lá para cá a ficha de Valdir Silva era extensa, foi preso por enumeras vezes e a especialidade do vigarista para meu azar, era a montagem de documentação imobiliária ou seja, o cara fazia tudo apoiado por cartórios, sendo que o tabelionato no Paraná aonde ele fez a procuração, é conhecido como um dos cartórios mais corruptos do país,  já o 12 cartório de registro de imóveis tem a fama de ser um cartório ilibado aonde não passa nada de errado, até esse registrou a escritura desse cartório do Paraná sem fazer muitas perguntas, ou seja eu estava diante de uma quadrilha que trabalhava igual a um banco Suiço, tinham ” a eficiência cronometrada ” ou seja era tudo feito de maneira ordenada e cada pessoa tinha seu papel no golpe.

A Cronologia do golpe

O bando age da seguinte forma :

falsificam uma procuração pública aonde fazem parecer que os titulares da matricula, outorgam ao estelionatário numero 1 a procuração pública, normalmente agem em conluio com cartórios fora de São Paulo, neste caso no Paraná aonde são feitas as maiorias da fraudes notariais, de posse da procuração entra em cena o estelionatário numero 2 o qual transfere rapidamente para o estelionatário numero 3, que normalmente é alguém com ficha limpa, isso é feito para tentar colar o famoso golpe do terceiro de boa fé…

Adivinhem quem era o diabo ?

negociando com o diabo
negociando com o diabo

Calma ai pessoal não é o ator Robert Judd, do filme a encruzilhada, o verdadeiro diabo por trás de tudo isso, foi o dono da construtora o qual financiou toda a quadrilha em troca de querer grilar o meu terreno, estive frente a frente com o mesmo, era uma pessoa que falava pouco, muito bem instruída e  bem simpática, quis ainda brincar com a situação e perguntou de quantos donos era o terreno, eu olhei para dentro dos olhos dele de forma firme e enérgica, e disse o dono está a sua frente,  por coincidência do destino ele tinha vindo a meu escritório pois era dono de um empreendimento o qual meus corretores estavam vendendo, eu já tinha descobrido tudo todos os elos de ligação do bando, e em investigação particular soube que o construtor era o cara que era o chefe da quadrilha, infelizmente até o momento não tive como provar nada, mais estamos bem próximos de esclarecer a história e botar tudo em panos limpos, tenho orgulho em dizer que tive experiência de sobra e consegui desarticular uma quadrilha inteira, a moral da história é a seguinte, ” nunca confie em quem tem interesses em comum, ou semelhantes aos seus ” o interesse do dono da construtora era o meu terreno, e demorei para enxergar que ele era a pessoa por trás do golpe, por várias vezes recebi propostas no terreno pois entrei om ação de anulação de escritura publica por fraude, os golpistas pensaram que comprariam o terreno mais barato por causo da ação, mais ganhamos tudo o magistrado viu que o negócio logisticamente era impossível, como pessoas do bairro iriam até o estado do Paraná para outorgar uma procuração, isso é totalmente sem lógica…

No final das contas o diabo ou melhor dizendo a construtora, quis fazer um trato comigo me oferecendo metade do que valia o terreno, a proposta foi feita por telefone e  pessoa não se identificou, mais ficou claro que era gente ligada a construtora, desse forma rejeitei o trato …

artigo de :

Sérgio F. Barbosa